49967412722 930e70af2c o

O Governo do Estado irá retomar no mês de julho o concurso público para a contratação de 600 agentes penitenciários. A novidade foi anunciada durante uma visita do chefe da Casa Civil, Amandio João da Silva Júnior, e do secretário de Administração Prisional e Socioeducativa, Leandro Lima, ao Complexo Penitenciário do Estado, em São Pedro de Alcântara, na manhã desta quarta-feira, 03.

Na oportunidade, também foram inaugurados o novo Centro Tático Operacional e o canil da Divisão de Operações com Cães. O ato teve ainda a entrega de 14 novos furgões para o transporte de apenados.

O início do curso de preparação dos agentes penitenciários estava programado para o mês de março, porém teve de ser adiado por conta da pandemia de Covid-19.

“Temos unidades que não podem ser operadas por falta de efetivo. Esse concurso é de fundamental importância para que possamos colocá-los em operação”, destaca Leandro Lima.

O curso de formação começará em julho, 420 horas/aula de duração, que serão relizadas em reime integral. É eliminatório: entram 980 para o curso, mas serão preenchidas as 600 vagas previstas no edital.

O chefe da Casa Civil frisou que a retomada do curso de formação, a inauguração dos novos espaços e entrega dos furgões reforçam a atuação dos agentes penitenciários.

“Eles já realizam um trabalho de excelência. Temos números excelentes no nosso sistema prisional catarinense. Com esses equipamentos, poderemos dar um salto de qualidade ainda maior. O Governo do Estão apoia o trabalho dos agentes penitenciários e procura dar as melhores condições para desempenharem as suas funções”, diz o chefe da Casa Civil.

49966632188 8697ba3232 o

Centro Tático Operacional

O Centro Tático Operacional inaugurado nesta quarta-feira fica anexo ao Complexo Penitenciário do Estado (Cope). Possui aproximadamente 15.000 m² e abrange três estandes de tiro que podem ser utilizados simultaneamente, com capacidade para 90 alunos no total. Além dos estandes, o espaço possui áreas de treinamento, sala de apoio para instrutores e coordenadores, arquibancada, vestiários e banheiros. O investimento total foi de R$ 130 mil, com mão de obra dos presos da unidade.

Novo canil

Também foi inaugurado o Canil da Divisão de Operações com Cães (DOC), construído a partir da reforma de uma estrutura anexa ao Cope, com espaço operacional e administrativo e capacidade para até quatro cachorros, com o investimento de R$ 15 mil.

Entrega de furgões

A SAP recebeu 14 novas viaturas do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão do Ministério da Justiça e da Segurança Pública. Destinadas ao transporte de apenados, cada furgão-cela custou R$ 181 mil, totalizando um investimento de R$ 2,5 milhões no sistema prisional catarinense com recursos do Fundo Penitenciário Nacional.

Os furgões-cela seguem os padrões de qualidade do Departamento e normativos do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP). São climatizados, equipados com tecnologias de monitoramento por câmera, comunicador interno e capacidade para transportar oito pessoas privadas de liberdade, além da equipe de escolta.

Informações adicionais para a imprensa
Jacqueline Iensen
Assessoria de Imprensa
Secretaria da Administração Prisional e Socioeducativo (SAP)
E-mail: jacqueline.iensen@gmail.com
Fone: (48) 3664-5810 / (48) 99668-9634
Site: www.sjc.sc.gov.br

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

Internosdaupadesaojosedocedro1

Na Unidade Prisional Avançada (UPA) de São José do Cedro, os internos estão desenvolvendo atividades especiais como forma de manterem-se ocupados nestes tempos de pandemia.

Internosdaupadesaojosedocedro2

E, uma das alternativas, é a oficina de artesanato, onde os internos desenvolvem peças com restos de madeira que, depois, são encaminhados para os familiares.

Internosdaupadesaojosedocedro4

Internosdaupadesaojosedocedro3

VIDEOCONFERENCIAGESTORESPRSCRS

O secretário da Administração Prisional e Socioeducativa, Leandro Lima, se reuniu por meio de videoconferência nesta segunda-feira (01) com os secretários de Administração Prisional do Paraná e do Rio Grande do Sul. O objetivo do encontro foi compartilhar as experiências e desafios no enfrentamento à pandemia do Coronavírus (Covid-19) nos sistemas prisionais do Sul do Brasil.

Além de debater as ações de prevenção e segurança já implantadas em cada estado a fim de minimizar o contágio por Covid-19, os secretários alinharam estratégias para fortalecer as barreiras sanitárias nas unidades prisionais.

Participaram da reunião o Secretário da Segurança Pública do Paraná, Coronel Romulo Marinho Soares e o Secretário da Administração Penitenciária do Rio Grande do Sul, Cesar Faccioli.

01MASCARA CHAPECÓ

O  Complexo Penitenciário de Chapecó está produzindo máscaras descartáveis em tecnologia SMMMS, especificação que garante filtragem bacteriana superior a 95% para ser usada em ambiente administrativo.

Depois de um período de testes com materiais, ajustes de equipamentos e aprovação junto aos órgãos certificadores de qualidade, a fabricação de máscaras descartáveis entrou em escala industrial.

Por dia a produção média é de 25 mil unidades devendo alcançar as 600 mil máscaras por mês. Cada pacote com 50 unidades será comercializado por R$ 40, ou seja, R$ 0,80 por máscara, preço bastante competitivo no mercado. A atividade é desenvolvida por 120 apenados da Penitenciária Agrícola de Chapecó.

“O sistema prisional catarinense está operacionalizando uma das mais graves demandas atuais do nosso país. A produção vai atender não apenas às necessidades dos nossos servidores, mas de todas as frentes de combate ao Coronavírus (Covid-19) do Governo do Estado”, salientou o Secretário de Administração Prisional e Socioeducativa, Leandro Lima.

O Gerente da Regional Oeste do DEAP, Agente Penitenciário Alecsandro Zani, destacou que foram realizados diversos testes até se chegar à configuração de um produto que oferecesse segurança. "A produção de máscaras pelo Complexo Penitenciário de Chapecó é resultado da soma de esforços entre a SAP, DEAP, agentes penitenciários e apenados do Complexo. As máscaras são fruto de muito estudo e avaliação de órgãos de fiscalização. Essa ação é uma forma encontrada pelo Complexo para auxiliar no combate ao Covid-19 e trabalhar a reabilitação social dos apenados", observa o Gerente da Regional Oeste, o agente penitenciário Alecsandro Zani.