complexo penitenciario do estado inaugura nova biblioteca 20200613 1054015247

O Complexo Penitenciário do Estado (COPE), localizado em São Pedro de Alcântara, inaugurou uma biblioteca, equipamento importante para apoiar os programas de reabilitação social e econômica dos apenados. A montagem do novo espaço foi viabilizada com a mão de obra dos internos e recursos do Fundo Rotativo da unidade. O Fundo Rotativo é um modelo de gestão da atividade laboral desenvolvido no sistema prisional catarinense, no qual 25% do salário que o preso recebe da empresa que o contrata é investido em melhorias para a unidade.

A biblioteca ocupa uma área de 100 metros quadrados e tem aproximadamente mil obras selecionadas, que estão disponíveis para todos os reeducandos da unidade. Toda a reforma do local foi feita com mão de obra dos apenados e os livros do acervo foram doados.

A gerente de Saúde, Ensino e Promoção Social do Complexo, agente penitenciária Samayne Freitas Coelho, destaca o papel cultural dos livros. “A leitura como forma de abranger horizontes e conhecimento é sem dúvida parte importante no processo de ressocialização. Foram selecionadas obras que agregam conhecimento, sem conteúdos violentos”, explicou. “Com esforço e dedicação entregamos ao sistema prisional catarinense uma peça importante no processo de readequação do indivíduo à sociedade”, completou Samayane.

Novas estruturas

A biblioteca não é a única nova estrutura no Cope. Também foram recentemente inaugurados um Centro Tático Operacional e um Canil para a Divisão de Operações com Cães (DOC), anexos ao Complexo. O Centro Tático Operacional possui aproximadamente 15.000 metros quadrados e abrange três estandes de tiro que podem ser utilizados simultaneamente, com capacidade para 90 alunos no total. Além dos estandes, o espaço possui áreas de treinamento, sala de apoio para instrutores e coordenadores, arquibancada, vestiários e banheiros. O investimento total foi de R$ 130 mil, com mão de obra dos presos da unidade.

Já o Canil da Divisão de Operações com Cães (DOC) foi construído a partir da reforma de uma estrutura anexa ao Cope, com espaço operacional e administrativo e capacidade para até quatro cachorros, com o investimento de R$ 15 mil.