DEASEVIVENCIAJUSTICARESTAURATIVA1
O Departamento de Administração Socioeducativa (DEASE) promoveu, nesta segunda-feira (5), uma vivência em Justiça Restaurativa, técnica de resolução de conflitos que se orienta pela sensibilidade e empatia entre os ofensores e a vítima. O evento ocorreu na sede da Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), em Florianópolis, e contou com a presença do diretor do DEASE, Zeno Tressoldi, servidores do departamento e do sistema socioeducativo. A atividade foi intermediada pela Assistente Social do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), Gisele Comiran, e pela presidente da Comissão de Justiça Restaurativa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Patrícia Costa.

A iniciativa é parte do plano de disseminar práticas de Justiça Restaurativa no âmbito do sistema socioeducativo catarinense. O DEASE pretende consolidar o Núcleo de Justiça Restaurativa Interinstitucional, um grupo de trabalho interinstitucional que pretende ser referência na estruturação das ações e capacitações em Justiça Restaurativa. O Núcleo será composto por servidores do DEASE, devidamente capacitados, e terá como objetivos o alinhamento, supervisão e implantação de projetos, assim como capacitações.

As metodologias da Justiça Restaurativa potencializam a comunicação em grupo, a reflexão e o diálogo acerca de problemas comuns, aspirações individuais e de grupo, além de reconhecimento de hábitos e atitudes. As práticas são previstas legalmente e indicadas pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE) por potencializar a vivência de valores fundamentais e por ser adequada para adolescentes, familiares e servidores. “Ao sensibilizar os servidores para que eles conheçam este método, cria-se familiaridade com o tema, espaço para desenvolvimento da comunicação entre os grupos, identificação de perfis aptos à capacitação no tema e revisão de posturas e conceitos”, afirma o diretor do Dease, Zeno Tressoldi.

DEASEVIVENCIAJUSTICARESTAURATIVA2